O cenário atual do transporte de cargas no Brasil: saiba mais sobre o assunto!

6 minutos para ler

Você já parou para pensar em como está o cenário atual do transporte de cargas no Brasil? Conhecer o panorama é fundamental para conseguir se antecipar aos problemas e tomar decisões mais acertadas — que possam trazer os resultados esperados ou, pelo menos, ajudem a minimizar os impactos negativos.

Neste artigo, fizemos algumas perguntas a Marco Antonio Oliveira Neves, Diretor Presidente da Tigerlog Consultoria e Treinamento em Logística, para tratar sobre o assunto com mais detalhes, explicando a situação atual e apresentando as expectativas e tendências para o setor nos próximos períodos. Continue conosco para saber mais!

Quais foram os impactos trazidos pela COVID-19 para o setor de logística?

Em um primeiro momento, houve uma grande preocupação quanto às restrições nas fronteiras entre os estados. Com a possibilidade de impedir a entrada de veículos de outras regiões, empresas de logística e outras entidades negociaram com prefeitos e governadores o envio e a entrega de itens essenciais, como alimentos, medicamentos e respiradores.

Além disso, também podemos citar a queda no consumo em decorrência do fechamento de comércios, como bares e restaurantes, e a recessão econômica que veio como consequência dessas restrições.

Em setembro, cerca de 7 meses após o início da pandemia, já é possível notar uma recuperação do setor, ainda que ela seja mais lenta. Isso faz com que muitos gestores precisem rever a previsão de faturamento e ajustar os custos operacionais para não fechar o ano no vermelho.

Em contrapartida, o e-commerce passou por um aumento nas vendas durante o período, o que ajudou, de certa forma, a equilibrar um pouco mais a situação e evitar que os impactos da pandemia no cenário atual do transporte de cargas no Brasil fossem ainda mais severos.

A soma de todos esses fatores resultou em uma queda considerável na demanda, o que chegou a trazer problemas financeiros para muitas empresas e a necessidade de solicitar crédito para manter as operações funcionando.

Como as ações do governo impactaram o setor de logística?

Uma das principais mudanças foi a flexibilização das relações trabalhistas. Isso significa que muitas empresas puderam dispensar colaboradores por 180 dias, sem o pagamento de salários.

Em outros casos, também foi possível reduzir os pagamentos em 25%, com uma diminuição proporcional da jornada de trabalho. Essas questões, associadas ao fechamento do comércio e ao desemprego, fizeram com que a retração no setor tivesse um impacto maior.

A expectativa é a de que, com a flexibilização do isolamento e a reabertura do comércio, a área de logística apresente um crescimento contínuo, graças ao aumento na demanda e ao reaquecimento da economia.

Quais são as principais tendências observadas no setor?

Algumas tendências já vêm se tornando realidade ao longo do tempo. Outras, se mostram cada vez mais perto de fazerem parte da rotina das empresas. Saiba mais sobre algumas delas, a seguir.

Inteligência na utilização de dados

O volume de dados trabalhados na logística é muito grande, por isso, utilizá-los com mais inteligência é fundamental para aumentar a competitividade da empresa no mercado e tornar a cadeia de suprimentos ainda mais eficiente. Para que isso aconteça, soluções de Big Data e até mesmo Business Intelligence são essenciais.

Economia colaborativa

A economia colaborativa está em alta no mercado, em vários setores. Na logística, estamos falando de usar espaços de parceiros de negócios para armazenamento, além de terceirizar mais processos, por exemplo. A ideia é tornar as etapas cada vez mais simples e focar ainda mais na atividade-fim da empresa.

Automação

A automação já é algo que está se tornando realidade há um tempo e se intensificou com a chegada da Indústria 4.0 e da transformação digital. A tendência é a de que a tecnologia seja amplamente utilizada, de forma que os processos se tornem mais eficientes, ágeis e acertados.

Investimentos em sensores

Em uma cadeia de suprimentos, os sensores podem ser utilizados para rastrear produtos e rotas planejadas para as entregas. Com eles, é possível monitorar, praticamente em tempo real, as informações ligadas às cargas e aos veículos.

O que podemos esperar da aplicação da IoT na logística?

Com a Internet das Coisas (IoT), diversos dispositivos podem ficar compartilhados e trocar informações por meio da internet. Em uma rotina pessoal, é o que possibilita controlar o ar-condicionado por meio do celular, por exemplo.

Já em uma empresa, temos o que é chamado de logística inteligente. Nesse caso, a IoT contribui para que a linha de produção e o envio de materiais, por exemplo, possam ser acompanhados em tempo real.

Isso abre diversas possibilidades, uma vez que os gestores podem acompanhar as operações bem de perto e identificar qualquer problema assim que ele surge. Essa agilidade é fundamental para que as ações de correção sejam mais eficazes.

Quais serão os efeitos positivos de contratos inteligentes e do uso de dados para a tomada de decisão?

Decisões baseadas em dados são mais acertadas e podem trazer resultados melhores. Com a coleta e o processamento corretos, eles podem gerar informações valiosas, que trarão um conhecimento ainda maior para os gestores.

Com isso, fica mais fácil identificar pontos de melhoria e oportunidades a serem alcançadas, monitorar o mercado e os concorrentes, além de saber quais são os planos de ação mais adequados para alcançar os objetivos esperados.

Existe alguma iniciativa do Governo que gere impacto ao setor?

A reabertura gradual do comércio e a retomada da economia já são ações que vão impactar o setor positivamente no curto e médio prazo. Outras medidas, como o megapacote do Governo, que ainda depende de aprovação no congresso, podem ajudar a aquecer a economia e, consequentemente, provocar o aumento do consumo e da demanda.

Apesar da falta de novas notícias sobre o andamento desse megapacote, já podemos ver alternativas de retomada da economia e até mesmo os sinais de avanço em alguns setores.

O cenário atual do transporte de cargas no Brasil se desenha para uma melhoria já no curto prazo, mas que ficará ainda mais evidente nos meses seguintes, caso a perspectiva continue sendo a de retomada. Ainda assim, os gestores precisam ficar por dentro de todas as movimentações que acontecem no mercado e ajustar o planejamento sempre que necessário.

Gostou desses insights? Então, compartilhe o conteúdo em suas redes sociais e deixe que seus amigos também fiquem por dentro dessas informações!

Deixe um comentário