Conheça o novo perfil do líder de logística e Supply Chain!

6 minutos para ler

Pensando no momento de transformação digital que muitas empresas estão passando, é importante refletir, também, sobre as mudanças que impactam o perfil do líder de logística e supply chain. A atuação desse profissional contribui de forma significativa para a obtenção de resultados cada vez melhores.

Trata-se de uma posição de liderança que requer conhecimentos técnicos e competências interpessoais para incentivar a equipe a atingir sua melhor performance. Nesse cenário, o gestor tem várias responsabilidades no que diz respeito à execução das atividades e a melhoria dos processos de trabalho.

Por esse motivo, elaboramos este conteúdo, para descrever o papel do líder logístico atualmente e quais são as principais características desse profissional. Continue a leitura e saiba mais!

O que é a gestão logística?

Definimos a logística como o fluxo de atividades necessário para levar insumos ou produtos do ponto A para o ponto B. Isso inclui as etapas de armazenagem, processamento de pedidos e expedição.

Há também o planejamento da entrega, que depende da consolidação da carga, da seleção do modal de transporte e da emissão de documentos fiscais. Portanto, o conceito mais adequado seria interpretar a logística como o processo que viabiliza a movimentação de cargas dentro do prazo ao menor custo possível.

Qual é o conceito de supply chain?

O supply chain ou cadeia de suprimentos, conforme a tradução para o português, representa uma rede de negócios envolvidos no processo de produção, transporte e comercialização de produtos.

O seu funcionamento requer o trabalho de diversas organizações que devem executar as suas respectivas atividades corretamente com o intuito de manter o nível de atendimento e cumprimento de prazos.

Trata-se de um procedimento complexo que, para ser bem-sucedido, depende de fornecedores, armazéns, operadores logísticos, fabricantes, varejistas e o consumidor final. Por isso, não podemos pensar nesse processo como um fluxo isolado, e sim contínuo com a intervenção do gestor.

Qual é perfil do líder de logística e supply chain?

Muitas vezes, esses dois conceitos são utilizados como sinônimos para representar o processo de distribuição, contudo, o seu gerenciamento depende de várias competências distintas. O líder que atua nessa área deve demonstrar requisitos que aprimoram o processo operacional e guiam o trabalho da equipe. Confira, a seguir.

Conhecimento sobre o processo

O processo logístico é uma atividade de grande complexidade que depende da dedicação de profissionais que conhecem o seu andamento. Quando consideramos as funções dos gestores é essencial combinar os conhecimentos teóricos com a capacidade técnica. Por muito tempo, prevaleceu a ideia que uma graduação em engenharia é o suficiente para oferecer a formação necessária.

Contudo, esse cenário mudou e hoje existem diversos cursos de especialização e, até mesmo, mestrado profissional que ajudam a conquistar os conhecimentos para atuar nesta área. Além disso, muitas empresas implementam universidades corporativas que auxiliam no desenvolvimento de conhecimento sobre a operação e ajudam a formar novos líderes.

Flexibilidade para criar inovações

A performance da área de transportes depende da sua capacidade de inovar sempre que enfrenta desafios. Essa é uma atividade que está sujeita a diversos imprevistos como o envio emergencial de um produto, avarias na carga ou problemas durante o trajeto de entrega.

Por esse motivo, é fundamental que a equipe disponha de flexibilidade para buscar possíveis soluções e possibilitar o andamento do processo sem maiores percalços. O papel do líder nesse cenário é viabilizar as ferramentas para que a equipe possa colocar essa iniciativa em prática. 

Capacidade de ter uma visão global

Devido a sua complexidade, o departamento logístico interage com diversas áreas na organização. Além disso, as decisões não podem ser tomadas isoladamente, pois, corre-se o risco de comprometer o atendimento dos clientes.

Nesse contexto, a área comercial, por exemplo, não pode fechar contrato de venda sem conhecer o cronograma da linha de produção, para fornecer o prazo mais adequado e realista. Da mesma forma, o setor de compras depende das informações que o gestor de armazém repassa para planejar a reposição do estoque.

Esses aspectos revelam como o gestor logístico deve estar em constante comunicação com outros líderes e parceiros para garantir o andamento do seu processo interno.

Liderar com inteligência emocional

Os princípios da inteligência emocional nas organizações, em especial no líder logístico, são fundamentais para criar um ambiente que favorece a comunicação, tanto entre pessoas quanto entre equipes.

Hoje, esse conceito representa a forma como os nossos sentimentos e os dos outros não podem ser afastados do ambiente do trabalho. Logo, a liderança deve buscar meios adequados de expressar opiniões e críticas com empatia. Esse é um recurso voltado para o autoconhecimento, com foco na motivação e construção de relações interpessoais positivas.

Foco na qualificação do time

As empresas que investem na formação dos seus profissionais estão desenvolvendo um elemento chamado capital humano. Esses são os atributos que o colaborador adquire com sua vivência na empresa, além da sua formação e treinamentos. Essa é uma forma de valorizar a equipe e oferecer a capacitação necessária para progredir na carreira, assumir responsabilidades e desenvolver habilidades de liderança.

Ainda, faz parte das atribuições do líder incentivar e criar um ambiente propício para o aprendizado e a troca de experiências. Como resultado, a empresa é beneficiada com a conquista de recursos humanos capazes de inovar e solucionar problemas.

Capacidade de comunicação

O papel do gestor vai muito além do simples acompanhamento das atividades no cotidiano. Boa parte das suas atividades tem a ver com comunicação e a transmissão dos objetivos da equipe.

Essa é uma estratégia que ajuda a criar laços de confiança capazes de promover mudanças importantes no comportamento dos profissionais da área logística. Além disso, acrescenta um elemento de confiabilidade que não deixa espaço para especulação sobre o que acontece no trabalho.

Outra vantagem é a autonomia da equipe que conhece as diretrizes do líder e consegue desempenhar as suas atividades de maneira produtiva, com iniciativa para solucionar eventuais obstáculos.

Mesmo com a grande evolução tecnológica, o perfil do líder de logística e supply chain e o seu relacionamento com a equipe continua sendo um indicador de competência e eficiência. Por esse motivo, é essencial que esse profissional entenda a sua importância e busque o aprimoramento constante.

Se você achou o conteúdo interessante, que tal compartilhar nas redes sociais? Ajude mais pessoas a conhecerem o perfil de quem lidera o processo logístico.

Deixe um comentário